Testes manuais ou automação: qual a melhor opção?

Automatizar os testes de software pode nem sempre ser uma boa escolha, apesar de ter suas muitas vantagens. Afinal, nada como um cérebro humano coordenando a “caça aos bugs”.

Automação de testes de software

Mas, afinal, o que é automação de testes?

É a utilização de ferramentas que executam os testes na aplicação sem intervenção humana, por meio da implementação de scripts. Dessa forma, a ferramenta simula uma utilização do software testado e verifica os resultados esperados.

A automação de testes traz diversas vantagens: é mais rápido, diminui a chance de erro humano (mas é preciso atentar para que os scripts não apresentem falhas) e reduz o esforço com tarefas repetitivas, liberando os testadores para atividades que exijam raciocínio humano.

É importante lembrar, também, que para optar pela automação dos testes é necessário ter mão-de-obra especializada para a ferramenta utilizada.

Enquanto pessoas são mais inteligentes, intuitivas e criativas que máquinas, computadores já se dão melhor com cálculos, tarefas repetitivas e que precisam ser feitas num curto espaço de tempo.

Quando utilizar testes manuais?

  • Testes que envolvam tarefas mais intelectuais e que exijam análise e pensamento lógico;
  • Testes de usabilidade;
  • Tarefas dinâmicas;
  • Em sistemas que apresentam curto ciclo de vida.

 Automação de testes

Quando utilizar ferramentas de automação de testes?

  • Quando envolver tarefas repetitivas;
  • Aplicações com longos ciclos de vida;
  • Testes que devem ser feitos com maior frequência.

Tipos de testes que podem ser feitos com ferramentas de automação

  1. Testes Funcionais
  2.  Desempenho
  3.  Estresse
  4.  Segurança
  5.  Monitoramento de utilização de recursos
  6.  Gerenciamento de dados

Lembre-se de que cada caso é um caso. O ideal é que as duas coisas se complementem. As duas formas têm suas vantagens e desvantagens, que se completam.

About admin