Guia: tipos de teste de software

Neste guia, separamos os principais tipos de teste de software e seus conceitos resumidos. Confiram:

  • Teste de configuração

Testa se o software funciona no hardware que ele será instalado.

  • Teste de instalação

Testa se o software instala como planejado em diferentes hardwares e sob diferentes condições como pouco espaço  de memória, interrupções de rede, interrupções na instalação, etc.

  • Teste de integridade

Testa a resistência do software à falhas (robustez).

  • Teste de Segurança

Testa se o sistema e os dados são acessados de maneira segura apenas pelo autor das ações.

  • Teste funcional

Testa os requisitos funcionais, as funções e os casos de uso. A aplicação faz o que deveria fazer?

  • Teste de unidade

Testa um componente isolado ou classe do sistema.

  • Teste de integração

Testa se um ou mais componentes combinados funcionam de maneira satisfatória. Há quem diga que o teste de integração é composto por vários testes de unidade.

  • Teste de volume

Testa o comportamento do sistema operando com o volume “normal”  de dados  e transações envolvendo o banco de dados durante um longo período de tempo.

  • Teste de performance

O teste de performance se divide em 3 tipos:

  1. Teste de carga
    Testa o software  sob as condições normais de uso. Ex.: tempo de resposta, número de transações por minuto, usuários simultâneos, etc.
  2. Teste de stress
    Testa o software sob condições extremas de uso. Grande volume de transações e usuários simultâneos. Picos excessivos de carga em curtos períodos de tempo.
  3. Teste de estabilidade
    Testa se o sistema se mantém funcionando de maneira satisfatória após um período de uso.

Clique aqui para ver nosso post sobre teste de performance.

  • Teste de usabilidade

Teste focado na experiência do usuário, consistência da interface, layout, acesso às funcionalidades, etc.

Clique aqui e veja nosso post sobre teste de usabilidade.

  • Testes de caixa branca e caixa preta

Basicamente, teste de caixa branca envolve o código e o de caixa-preta, não.

Clique aqui e veja nosso post que explica esses conceitos de maneira detalha.

  • Teste de regressão

Reteste de um sistema ou componente para verificar se alguma modificação recente causou algum efeito indesejado e para certificar que o sistema ainda atende aos requisitos.

  • Teste de manutenção

Testa se a mudança de ambiente não interferiu no funcionamento do sistema.

Clique aqui e veja nosso post sobre testes de manutenção.

Gostou? Compartilhe!

About Pedro Costa