Entenda por que o teste caixa preta garante a qualidade do software

Os testes de software são basicamente divididos em 2 grupos, com focos e atributos diferentes: são os testes de caixa branca e os de caixa preta. Neste post abordaremos mais a fundo os testes de caixa preta, buscando explicar o que são, como são feitos, quais são seus benefícios e entender por que são fundamentais para garantir a qualidade do programa antes de entregue. Quer entender de uma vez por todas por que o teste caixa preta garante a qualidade do software? Então acompanhe:

Abrindo a caixa: como esse teste funciona

O teste de caixa preta, também chamado teste funcional, tem por objetivo analisar o comportamento do software, ignorando completamente os aspectos da sua construção interna. Nele, o trabalho do testador é simplesmente abrir o programa e testar sua funcionalidade das mais diferentes maneiras, sempre buscando possíveis erros.

O objetivo do teste é, portanto, refletir a ótica do usuário, que está somente interessado no que o programa irá oferecer, sem considerar os aspectos relacionados à sua programação e construção. Esse teste é um pouco mais simples, mas é essencial para garantir a qualidade do software a ser entregue ao cliente.

Já o teste de caixa branca é ideal nos processos iniciais, visando captar erros semânticos e identificar linhas com eventuais falhas de código no sistema. O teste de caixa preta, por sua vez, é mais adequado para a pós-produção do programa, visando garantir sua qualidade e funcionalidade ideais.

Avaliando resultados: o que o teste detecta

Esse teste procura simular possíveis erros cometidos por um usuário do programa, fugindo da especificação do software. O teste de caixa preta é especialmente útil para revelar problemas e inconsistências. Ficou curioso para conhecer mais alguns dos erros procurados durante esses testes? Pois vamos dar uma olhadinha:

  • Funções incorretas ou omitidas;

  • Erros de interface, de comportamento ou desempenho;

  • Falhas na abertura ou no fechamento do programa;

  • Preenchimento de campos com números insuficientes;

  • Informação de números de CPF ou CEP inexistentes;

  • Ausência de preenchimento de campos de entrada;

  • Digitação de letras e símbolos em campos que só deveriam aceitar números;

  • Duplicação de informações.

Custo-benefício: quais as vantagens do teste

Agilidade no crowdtesting

O caixa preta é um teste mais simples voltado para a medição da qualidade do produto final. Utilizando essa modalidade de teste, sua empresa pode validar seu produto em larga escala, aumentando, assim, sua eficiência, já que esse tipo de teste é ideal para ser feito por meio de ferramentas de crowdtesting.

Análise dinâmica

Como os testadores são pessoas alheias ao projeto, eles podem realmente avaliar se o programa irá satisfazer os consumidores. O teste também é importante para detectar quais são as falhas no software, verificando se essas vulnerabilidades podem comprometer a segurança dos dados armazenados.

Aprovação e monitoramento

É fundamental realizar vários testes caixa preta antes mesmo que o produto seja aprovado e entregue ao cliente, o que garantirá a credibilidade da empresa e a funcionalidade do programa. No entanto, esses testes também podem ser conduzidos continuamente em softwares que já estão em funcionamento, visando encontrar vulnerabilidades inéditas nas novas versões sendo desenvolvidas.

E então, entendeu melhor o que é e para que serve o teste caixa preta? Ficou ainda alguma dúvida? Comente aqui e compartilhe seus questionamentos e suas impressões conosco!

About Pedro Costa