Entenda a importância e saiba como estruturar um plano de teste

O sucesso de todo e qualquer projeto está diretamente relacionado ao seu planejamento. Ter um plano é como ter um mapa onde são traçados os objetivos, definidas as metas a serem alcançadas, os obstáculos a serem superados, os recursos necessários e até mesmo o tempo para atingir esses objetivos.

Dentro do contexto de teste de software não é diferente. E apesar de vermos frequentemente sobre a importância dos testes de software, pouco se fala ainda sobre a importância de um plano de teste. Mas afinal, o que é realmente um plano de teste, qual a sua importância e o que ele pode agregar para o desenvolvimento de um software? Acompanhe os detalhes a seguir e entenda mais sobre este assunto.

O que é um plano de teste?

Um plano de teste é basicamente um documento (mapa/guia) onde se definem o escopo, os objetivos, os requisitos, as estratégias e o cronograma a serem utilizados durante a fase de teste de um software, podendo ser elaborado pelo gerente de projetos ou gerente de testes. É importante lembrar que o plano faz parte dos oito documentos da norma IEEE 829, que regulamenta a atividade de teste de software.

Contar com um plano de teste é fundamental para garantir que todos os aspectos de um software sejam devidamente testados e que nada fique de fora durante o projeto. Além disso, como o processo de desenvolvimento de software está em constante e rápida evolução, é preciso que os desenvolvedores estejam sempre cientes do que já foi testado em cada compilação e em que ponto houve problemas.

Assim, o plano de testes tem o papel de identificar cada versão de compilação e apresentar aos desenvolvedores para que estes possam verificar um problema de maneira ágil e a qual versão ele está relacionado, assegurando também que nenhum aspecto deixe de ser testado.

O que um plano de teste deve conter?

Um plano de teste deve basicamente conter as seguintes informações: 

  • Introdução: Deve descrever o projeto e os objetivos do documento. O público ao qual se destina e o propósito do projeto também devem ser relatados.
  • Atributos a serem testados: Explica o que deverá ser testado. Alguns exemplos são: desempenho, segurança, interface, entre outros.
  • Estratégias e ferramentas para o teste: Esta seção indica os tipos de testes a serem realizados, as técnicas a serem empregadas, além de critérios de finalização de teste e ferramentas que serão utilizadas.
  • Infraestrutura e Equipe: Descreve os envolvidos no teste e os recursos a serem utilizados. Exemplos: profissionais, equipamentos, softwares de apoio, entre outros. A descrição nesta seção visa garantir que haja a infraestrutura adequada para que os testes sejam realizados conforme o previsto.
  • Documentação: Relação de documentos referentes ao projeto.
  • Cronograma de atividades: Deve conter os marcos importantes (Milestones) das atividades de teste e suas respectivas datas de início e término.

Benefícios de um Plano de Teste

Quando criado de maneira correta, um Plano de Teste pode desempenhar um papel fundamental no processo de teste de um software. Eles apresentam muitos benefícios que são diferentes daqueles encontrados em testes exploratórios. Confira abaixo alguns dos benefícios que um Plano de Teste pode proporcionar ao seu projeto:

Encontrar mais bugs: Um Plano de Teste pode ajudar os testadores a encontrar mais bugs do que em testes exploratórios. Deste modo, eles são capazes de testar todas a seções e todos os possíveis casos de uso.

Evitar duplicidades: O Plano de Teste também ajuda a evitar duplicidades, ou seja, se um testador encontrar um bug na versão B de um software, ele pode abrir o plano de teste e verificar a versão anterior (versão A) para analisar se o problema foi registrado antes.

Melhor cobertura: Se bem escrito, um Plano de Teste pode garantir que todos os aspectos de um software sejam testados e cobertos. Essa prática se opõe a testes exploratórios, onde são realizados testes de maneira desestruturada.

Comunicação: Um plano de testes também tem o grande benefício de poder servir de meio de comunicação entre os membros da equipe de um projeto de software, ou seja, testadores, desenvolvedores, gerentes e demais partes envolvidas.

Rastreamento mais eficiente: Os resultados de um Plano de teste são organizados de acordo com a seção em que foram encontrados. Portanto, é muito mais fácil ver de relance quais áreas são problemáticas.

Backup: Planos de Teste também podem servir como um registro valioso dos testes realizados e dos bugs encontrados em cada compilação. Deste modo, ele também pode servir de “backup” em caso de perda de alguma informação já testada.

Assim como o desenvolvimento de um software exige planejamento, o processo de testes também deve ser planejado para que os objetivos sejam alcançados. E neste caso, nada melhor do que fazer uso de um Plano de Teste para obter um software que atenda as necessidades para a qual foi desenvolvido.

E então, ficou com alguma dúvida sobre Plano de Testes de Software? Deixe seu comentário e não deixe de acompanhar o blog da Base 2!

About Contentools